Páginas

VÍDEO DO DIA

A sua TV não vai contar, mas foi um dia histórico

Quando eu saía ontem de Florianópolis para São Paulo e sabia que ia enfrentar 10 horas de viagem, só queria deitar e dormir durante todo o percurso pra ter energia suficiente pra enfrentar um dia de manifestação democrática. Só que eu acabei passando a viagem inteira escrevendo.

Cheguei cansadíssimo mas mal entrei em casa e já saí pra me encontrar com amigos e amigas pra outra jornada. Achava que a manifestação seria pacífica pois dificilmente aquele governador patético repetiria sua violenta aberração policialesca em tão curto espaço de tempo. Mas nem de longe passou pela minha cabeça que eu iria presenciar um dos momentos mais lindos da história do nosso país.

Você vai lembrar do "fora Collor" ou da campanha pelas "Diretas já!". Mas eu vou teimar contigo: em ambos os casos lembrados houve motivações advindas de cima: parte da mídia, a oposição, aqueles formadores de opinião, aqueles artistas... Ou seja, sempre fomos motivados por forças que vieram, digamos assim, das cabeças "pensantes". Sempre fomos "levados". Dessa vez não. Fomos nós mesmos que nos levamos pra rua. E fomos dando de peito com essas velhas "cabeças pensantes". Elas já não nos representam. Nós nos representamos.

Durante todo o trajeto não vi um só PM. O povo ditou um certo TOQUE DE RECOLHER à polícia selvagem comandada pelo governador pateta. E, vejam só "que coincidência: sem polícia e sem violência", como, mais ou menos, dizia um dos tantos lindos gritos de guerra... Ou melhor: GRITOS DE PAZ! Em meus anos vividos nessa metrópole louca, hoje foi o dia em que vi a gentileza mais aflorada. Se alguém se esbarrava: "me desculpe" e o outro sorria ao responder "que é isso, está tudo bem". Assim foi o tempo inteiro. Não vi um cartaz no chão, uma garrafa fora da lata do lixo, um sem-vergonha urinando no muro diante da malta. Claro que essas coisas rolaram, mas foi tão pouco que me passaram desapercebidas.

Disseram 65 mil pessoas? Que conta escrota, hein?! Se numa Virada Cultural contam-se milhões, hoje, certamente, não havia menos do que 500 mil pessoas. Eu mesmo nunca vi tanta gente pelas ruas de São Paulo. Era muita, mas muita gente mesmo. E todas com um único objetivo - deixar claro que quem manda nesse país somos nós, o POVO BRASILEIRO.

Pra mim, dessa segunda-feira nasceram muitos novos cidadãos. Pessoas convictas de que unidas farão a real democracia acontecer. Sem motivações amesquinhadas e eleitoleiras dos velhos partidos que já não convencem. Sem as velhas manipulações intereceiras nascidas nos escritórios dos donos da comunicação. Pra mim temos uma oportunidade inédita de tomarmos o país e o destino pelas mãos.

Quando eu estava voltando pra casa, cansado, com fome e frio mas cheio de alegria, vi um grupo de crianças do lado de dentro do portão de sua casa. Elas gritavam os mesmos motes da manifestação e empunhavam cartazes de protestos. Crianças entre 7 e 10 anos. A televisão jamais trará algo assim. Mas as redes nos une contra a velha tirania.

Vamos adiante: "tornemos, salões e praças, nossas; domemos leis e leões!"

Ama a vida e segue!