Páginas

VÍDEO DO DIA

A história do mecenato na era do compartilhamento digital

Dia 9/3 farei três WebCanjas (tarde, noite e madrugada) de lançamento da capa e contra-capa de @Twítticas, meu segundo CD. Se você enviou seu avatar pra participar dessa história, fique atento e participe. Já dia 20/3 você saberá como colaborar pra que esse projeto, até agora apenas virtual, ganhe forma física e chegue as suas mãos. Leia e comente o texto abaixo.



Engrenagem

OBS.: Por favor, ao final, comente se apóia a ação!

Caio Mecenas foi conselheiro de um imperador romano intelectual, Otávio Augusto. Apoiou tantos artistas a partir da influência que detinha sobre César que seu nome passou a ser um termo até hoje usado como sinônimo de suporte às artes. Consolidado pela burguesia na renascença, o mecenato ainda é uma realidade. Mas hoje há uma nova forma fora dos capitais das empresas e dos governos. É o patrocínio de quem realmente importa e se importa: o público.

Com o surgimento das redes sociais e com a força da interconectividade, base delas, os interessados abriram mão dos intermediários e tomaram para si a função dos patrocinadores. Assim, num só tempo, os projetos passaram a ter não apenas as verbas necessárias mas, principalmente, o aval cultural vindo diretamente daqueles que justificam a publicação de toda e qualquer obra. Hoje, ao passo que o público dá subsídio a um projeto, também lhe confere credibilidade e autonomia. Ultrapassa, portanto, a questão meramente financeira.

Chico Buarque, em uma entrevista, disse que a arte é inútil. E é verdade: ela não se encaixa na utilidade, se tomarmos tal palavra num sentido estrito. No entanto, sem a arte nos embrutecemos. E, como a já bem conhecida frase de Nietzsche, sem a música (mãe de todas as artes) a vida passa a ser um erro. Logo, a utilidade da arte é justamente estar além do mundo das "utilidades".

E é por viver no mundo das subjetividades que o artista sempre enfrenta grande dificuldade na hora de custear seus projetos. Daí a demanda por "mecenas" ao longo da história, o que faz dessa uma atividade colaborativa em sua essência.

Quando comecei a produzir Twítticas me perguntei se seria possível fazer um CD sem dinheiro. Peguei meu computador, meus instrumentos e comecei a montar uma resposta à moda "faça você mesmo". Usando os meios convencionais eu gastaria por volta de R$50mil para fazer o que fiz. Porém, gastei um décimo disso.

Como?

Fui meu próprio produtor musical, fui todos os músicos e gravei 50% de tudo em um notebook. Se comparar (no sentido técnico) essa empreitada com grandes e caras produções do mercado você verá que o resultado aqui é digno de respeito.

E há fatos bem concretos: em apenas uma semana, Twítticas teve suas faixas tocadas 100mil vezes e está entre as mais baixadas do site da gravadora Trama. Veja bem: trata-se de um repertório, em boa parte, de música e poesia eruditas (Bach e Florbela). Que bonito!

Agora, e por tudo isso, decidi pagar uma parte dos gastos de estúdio e fazer os primeiros 500 CDs com a ajuda daqueles que compartilham desse projeto. E será a partir do momento em que esse apoio se consolide que terei a certeza decisiva da força de convergência entre nós. Isso será determinante ao que virá daqui para frente. E aviso: o melhor de @Twítticas ainda está por vir!

Convergência é um ponto chave já que hoje em dia o público é o grande responsável por boa parte da qualidade de tudo que há na TV, no rádio, nos palcos e etc. Mais do que nunca sua opinião tem valor pois é ele quem determina o sucesso e o fracasso dos projetos.

E assim, lhe caberá dar vida, na forma do CD, à "@Twítticas - a poesia concisa do contemporâneo".

Dia 20 de março darei os detalhes e você poderá, finalmente, fazer parte desse mecenato colaborativo da era digital, numa contribuição para com um projeto musical (OctOpus/Twítticas) que já foi ouvido mais de 2.3 milhões de vezes (Trama/YouTube) e que já doou milhares de downloads.

Vamos nessa!

Ama a vida e segue!

Ouça OctOpus I e Twítticas:
BAIXE DE GRAÇA!

Ouça, baixe e compartilhe cada faixa:

Fuga!

#Cantarão!

#Prelúdio!

#Festa

Nosso mundo

#Tempo!



#Àquela

Giga

#desAmar

Conto de fadas

Raridades

#Mágica

O que disse alguém

#Twítticas

Double

#Máscaras

Charneca em flor

Crepitar

#Vejam

Silencia

#LígiaAF