Páginas

VÍDEO DO DIA

20 dias... E já não era sem tempo

Deu no Estadão

SÃO PAULO - Hoje restrita a apenas 15 minutos antes do embarque, a internet sem fio gratuita nos aeroportos agora vai ser ilimitada. A decisão é da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), que tem 20 dias para contratar uma ou mais empresas de telefonia que vão prestar o serviço. A estatal garante que todos estarão conectados a partir do começo do ano que vem - março é o mês limite para a medida entrar em vigor.

A decisão vai valer nos aeroportos de São Paulo (Cumbica, Congonhas, Viracopos e Campo de Marte), Rio de Janeiro (Galeão, Santos Dumont e Jacarepaguá), Belo Horizonte (Confins e Pampulha), Brasília, Manaus, Porto Alegre, Curitiba, Recife, Fortaleza, Natal, Salvador e Cuiabá. Hoje, os 15 minutos de internet gratuita são restritos apenas a Cumbica, Congonhas, Galeão e Brasília.

Uma regra imposta pela Infraero é que a internet gratuita só pode ser usada a partir do aeroporto de origem, ou seja: se uma pessoa viaja de Congonhas para Porto Alegre, por exemplo, só terá direito a usar a internet no aeroporto paulista. Na volta, se quiser, pode pagar por mais tempo de conexão.

Tecnologia. A internet livre não vai ficar disponível no aeroporto inteiro - somente na área de embarque, depois do raio X. Para que o passageiro consiga se conectar à rede, duas alternativas estão sendo estudadas. A primeira é deixar o processo funcionando como é hoje: com o cartão de embarque na mão, o passageiro vai ao balcão de informações da Infraero e pega um cartãozinho com uma senha e um passo a passo de como se conectar.

O problema desse sistema é que o passageiro precisa lembrar de pegar o cartão de acesso com antecedência. Uma vez na sala de embarque e sem senha, perde a chance de se conectar enquanto espera o voo.

A segunda alternativa é negociar com as empresas o desenvolvimento de um aplicativo específico que o usuário possa baixar em vários equipamentos - computador, tablet ou smartphone - e, com ele, fazer login e senha para entrar na internet.

Cobrança. Até julho, a conexão à internet era paga em qualquer aeroporto. A presidente Dilma Rousseff exigiu e a Infraero lançou um programa-piloto de wireless gratuita nos 15 minutos pré-embarque, que começou a valer durante as férias - e continuou em São Paulo, Rio e Brasília quando julho chegou ao fim. "Agora, estamos na segunda fase do projeto, que é ofertar internet gratuita e ilimitada para os usuários dos principais aeroportos do País", diz Claiton Resende Faria, superintendente de Negócios Comerciais da Infraero.

Faria afirma que as empresas vão oferecer internet gratuita em troca de publicidade - nos aeroportos e no equipamento do passageiro. "A empresa vai poder ter um ponto de publicidade no terminal onde oferecer a internet, e sua marca também vai aparecer quando o usuário efetuar a conexão, no dispositivo que ele estiver usando", diz o superintendente. É algo já muito usado por empresas que patrocinam aplicativos para iPad. Ao clicar no aplicativo, uma propaganda "pula" na tela e desaparece em questão de segundos.