Páginas

VÍDEO DO DIA

Morre um gênio do contemporâneo

Ao tocar na tela de um tablet, copiei a nota abaixo, sobre a morte de um gênio, Steve Jobs.

Nesses dias tenho editando um vídeo clipe num computador criado na empresa desse cara, empresa que chegou ao topo da lista das maiores do mundo nesse ano, a Apple.

Poucos influiram tanto em tão pouco tempo.

#RipSteveJobs!

A seguir, textos do portal R7 e de Veja online, respectivamente.

A Apple informou nesta quarta-feira que o ex-executivo-chefe da empresa, Steve Jobs, morreu aos 56 anos de idade. Jobs enfrentou uma dura batalha contra o câncer e se afastou da direção da empresa no fim de agosto.

O anúncio da empresa foi feito por meio de uma nota em que a empresa afirma estar profundamente triste pela morte do líder.

– O brilho de Steve, sua paixão e energia foram fonte de incontáveis inovações que enriqueceram e melhoraram nossas vidas. O mundo é imensamente melhor devido a Steve.

Jobs revolucionou ao menos três mercados bastante diferentes em apenas dez anos: o musical, com o iPod, o de telefonia, com o iPhone, e o de computação móvel, com o iPad.

Isso sem falar nos computadores Mac, que influenciaram bastante os produtos da Microsoft, rival direta que desenvolve o sistema operacional Windows. E também não dá para esquecer do cinema: o primeiro longa metragem produzidos inteiramente com computação, Toy Story, foi produzido quando Steve Jobs era o chefe do estúdio Pixar, também responsável por outros sucessos como Vida de Inseto e Procurando Nemo.

Steve Jobs enfrentava problemas de saúde havia vários anos. No dia 24 de agosto passado, visivelmente abatido pela doença, Jobs anunciou sua demissão do cargo de diretor-geral da Apple, entregue ao número dois do grupo de informática, Tim Cook.

– Sempre disse que quando chegasse o dia em que eu não pudesse mais cumprir com meus deveres e com as expectativas como diretor de Apple eu seria o primeiro a me manifestar.

Sua última aparição em público foi em junho deste ano, durante o lançamento do iCloud, serviço que permite ao usuário armazenar gratuitamente todo seu conteúdo musical e descarregá-lo automaticamente de qualquer aparelho eletrônico da Apple.

Visivelmente mais magro, Jobs havia aparecido em público pela última vez em março, quando lançou o tablet iPad 2.

Jobs se afastou da Apple duas vezes em dois anos. Além dessa saída no início deste ano, em 2009 ele tirou uma licença para tratar da saúde e foi submetido a um transplante de fígado. Em 2004, o executivo travou uma batalha contra um câncer de pâncreas.

Fundador da empresa, Jobs é considerado o responsável pelas revoluções causadas pela Apple em vários mercados na última década, como a criação do iPod, que mudou drasticamente o mercado musical, do iPhone, responsável por alavancar o setor de celulares inteligentes, e, mais recentemente o tablet iPad.

Casado em 1991, em uma cerimônia presidida por um monge budista, Jobs deixa três filhos com  mulher, Laurene Powell. e uma filha com uma mulher que conheceu antes do casamento.

O computador é uma peça fundamental nas casas e escritórios em todo mundo. Muito novas, as crianças já sabem, por exemplo, como operar o mouse ou como navegar pela internet. Se o mundo digital está presente na vida de todos, é importante agradecer à dupla Steve Wozniak e Steve Jobs. O primeiro por ter inventado um computador realmente acessível a leigos, o Apple II, e o segundo, por ter convencido Woz a vender sua invenção.

Wozniak disse em sua biografia oficial que, ao criar o seu primeiro computador, não tinha intenção de comercializá-lo. "Projetei o Apple I porque queria dá-lo gratuitamente a outras pessoas", escreveu. Jobs foi a pessoa que o fez mudar de idéia, com um argumento simples: mesmo que tivessem prejuízo vendendo placas de computador, eles teriam sua própria empresa. O pensamento fascinou Woz e a dupla seguiu seu caminho para fundar a Apple Computers.

Steve Jobs não era engenheiro. Sua força dentro da empresa estava em outras habilidades: seu poder de convencimento e senso estético. Foi ele o responsável pela primeira venda do Apple I: cem máquinas para uma loja de computadores, um pedido que renderia a quantia de 50.000 dólares. Ele também corria atrás dos fornecedores, convencendo-os a fazer negócio com dois garotos que nem tinham terminado a faculdade. Por outro lado, seu aguçado senso estético, conquistado nas aulas de caligrafia da faculdade, ajudou a criar o gabinete do Apple II, o primeiro feito de plástico e que se tornou um padrão para os computadores da época.

Mas a principal contribuição de Jobs ao mundo do computador foi sua participação em um projeto menor dentro da Apple, chamado Macintosh, originalmente comandado por Jeff Raskin. Jobs acabou assumindo o grupo, transformando o Mac original em algo em que ele acreditava: um dispositivo voltado para as massas, com uma interface gráfica intuitiva. Em outras palavras, um eletrodoméstico. O Macintosh foi revolucionário em vários sentidos para sua época, mesmo não tendo um disco rígido e outras funcionalidades importantes. Sua tela monocromática, mas com pequenos ícones representando comandos, e sua caixa fechada, impedindo alterações e modificações, foi uma vitória da inteligência arrogante de Jobs.

Outro passo importante de Jobs foi deixar a Apple e criar a NeXT. Seu computador em forma de cubo feito em magnésio, era diferente de tudo que se fazia na época. Em uma máquina dessas foi desenvolvido o primeiro servidor web e também o primeiro navegador para a internet. Também nessa época, começou a ser desenvolvido o sistema operacional que serviria de base para o Mac OS X. A empresa foi um fracasso, não conseguiu vender seus computadores para o grande público, mas serviu de trampolim para que Jobs voltasse à Apple para salvar a empresa que criara vinte anos antes.

No regresso, Jobs colocou ordem na bagunça em que a Apple se tornara, oferecendo uma infinidade de equipamentos, cada um deles roubando espaço do outro no mercado e aos olhos do consumidor. De uma só vez, Jobs cortou excessos, deixando apenas duas linhas de produtos: uma para consumidores comuns, outra para profissionais. Para atender ao usuário doméstico, apostou em um projeto monobloco, diferente de tudo que estava à disposição dos consumidores: o iMac.

A Apple passou, finalmente, a ser a empresa que oferece novas tecnologias para cidadãos comuns. O iMac foi o primeiro computador equipado com portas USB, hoje um padrão de mercado. O iBook, de 1999, introduziu a rede sem fio para notebooks, com o seu AirPort. A porta de conexão FireWire, com velocidades de transferência de 400 Mb/s, ajudou a criar a indústria do vídeo digital. Por último, mas não menos importante: a marca desenvolveu baterias para notebooks com autonomia superior a 3 horas, antigo padrão de desktops. Com inovações como essa, Jobs provocou impacto na vida de todos nós e, em certa medida, ajudou a formatar o mundo de nossos dias.