Páginas

VÍDEO DO DIA

Que não nos façam de idiotas. Leia e descubra também!


Recebi um e-mail sem baboseiras e grosserias mitificadoras, mas com números e dados concretos.
Por isso, decidi repassar pra meus amigos e amigas.

Segue!

***

Abaixo alguns fatos que merecem sua análise, mas a grande mídia não dá o devido destaque.

Dez motivos para não votar em José Serra:

1) Pior índice de criminalidade no Estado de São Paulo: mais alto número de roubos - 257.004 ocorrências, 18% acima do ano anterior (o recorde fora em 2003 - 248.406 casos). Também cresceu o total de casos de latrocínios, sequestros, roubo e furto de veículos.

Pra piorar, a violência policial também cresceu: colocou uma policia contra a outra na frente do palacio dos bandeirantes - "o dia da vergonha", por falta de uma política de segurança pública no estado de São Paulo. (Fonte: Estadão)

2) O PSDB ataca a internete: Luiz Nassif foi afastado da TV Cultura e o blog Flit Paralisante, que faz críticas à segurança pública de São Paulo, foi excluído pelo Google, por causa de pedido judicial de José Serra. O blog conseguiu voltar. Visite Flit Paralisante e veja a ordem judicial a pedido de José Serra.

3) São Paulo é o Estado brasileiro com o maior número de pedágios e onde seu número mais cresce.
Os governos do PSDB os multiplicou por 5, e hoje eles são 225. Desde que tomou posse, Serra criou 82 novas praças de pedágio. A cobraça aos motoristas das rodovias paulistas atingiu R$ 4,55 bilhões em 2009.
Os dados são da Artesp (Agência de Transportes do Estado de São Paulo). (Fonte: Folha e SMABC)

4) Em 1988, Walter Fanganiello Maierovitch era juiz da 2ª Zona Eleitoral de São Paulo. Flavio Bierrenbach, hoje Ministro do Tribunal Superior Militar, foi ao horário eleitoral gratuito e fez a seguinte declaração:
“No dia 15 de novembro, João Leiva vai ter que derrotar dois Malufs. Um Maluf todo mundo conhece: aquele que nasceu no lodo da ditadura. O outro, poucos conhecem: José Serra entrou pobre como Secretario do Planejamento de Franco Montoro e saiu rico”.
Serra abriu um processo contra Bierrenbach por calúnia, difamação e injúria. Este processo foi parar nas mãos do juiz Maierovitch. Foi quando Bierrenbach entrou com recurso pedindo “exceção da verdade”, ou seja, queria provar que o que ele dissera era verdadeiro.

O juiz Maierovitch, então, recebeu o recurso e encaminhou os pedidos para ter acesso à declaração de renda de Serra, à sua movimentação de contas bancárias e à sua prestação de contas à Justiça Eleitoral. Após várias manobras, Serra conseguiu travar o processo na justiça para não ser investigado. (Fonte:PHA)

5) O governo tucano, dominante em São Paulo, barra todas as CPI’s que tentam investigar possíveis desvios na sua gestão. Dos 83 engavetamentos de CPIs na Assembléia Paulista, 70 aconteceram na gestão Geraldo Alckmin, e 13 no atual governo.

Sob Serra, os pedidos de investigação não obtiveram sequer o número de assinaturas necessárias para que as CPIs fossem protocoladas.

Entre elas estão:
a) CPI da Máfia dos caça-níqueis
b) CPI das Estatísticas criminais (buscava investigar a omissão de dados da violência no Estado)
c) CPI do Baixo desempenho escolar
d) CPI dos Cartões corporativos (investigação de R$ 108 milhões, "aplicados" até em casas noturnas)
e) CPI das ONGs no Governo Alckmin (60 contratos sem licitação e prejuízo de R$ 80 milhões)
f) CPI das Rodovias (investigação das privatizações tucanas e dos pedágios mais caros do país)
g) CPI da Alstom (contratos bilionários da multinacional francesa com o governo paulista) (Fonte:Vermelho)

6) Os professores da rede estadual decidiram paralisar as escolas. O protesto foi motivado pela proposta, feita pelo governo, de incorporar as gratificações aos salários. Com esse projeto, o reajuste salarial da categoria ficaria em apenas 0,27%.

Os servidores da saúde também fizeram uma passeata e entraram em “estado de greve". Além de reajustes, eles reclamam que Serra promove um sucateamento do sistema em todo o estado. Segundo a categoria, as terceirizações no sistema prejudicam servidores e pacientes.

7) No estado de São Paulo, até o final de janeiro, cerca de 70 pessoas já haviam morrido em decorrência dos desabamentos; 132 cidades paulistas tinham sido atingidas por inundações e desmoronamentos; bairros da capital e 26 municípios do interior estavam alagados.

Este é o cenário resultante do descaso do governo, que passou a investir mais em publicidade do que em obras.

De acordo com dados do Orçamento do Estado, em 2010 houve redução de 20% nas operações de combate a enchentes. Os números revelam que será cortado quase o dobro do valor dos atuais contratos para desassoreamento da calha do Rio Tietê, que somam R$ 27,2 milhões. O orçamento estadual também prevê menos investimentos em serviços e obras complementares da Bacia do Alto Tietê. O corte proposto para 2010 é de 61%. Já no Departamento de Água e Energia Elétrica, órgão do governo responsável pelas obras da calha do Tietê, foi previsto um corte de R$ 20,3 milhões.(Fonte:BlogdoMiro)

8) Em várias faculdades públicas está faltando professor. Com o risco, assim, de não mais atrair os melhores alunos e, aí, selar o sucateamento definitivo. Os funcionários da USP foram protestar por melhores salários. A reação de José Serra? Mandar a cavalaria para cima dos estudantes e professores, gerando um vergonhoso conflito no campus onde algumas pessoas saíram feridas.
(Fonte: Folha, UOL e ADUSP)

9) Não se engane quando você ouve nos comerciais pessoas risonhas e contentes bradando que nunca antes se investiu tanto em transporte em São Paulo.

Ora, o governo do PSDB está há 16 ANOS aí, ou seja: se nunca investiu antes, a culpa é única e exclusiva dos governantes desse partido.

Nesses 16 anos de PSDB em São Paulo, as estações só foram entregues em  anos eleitorais. E o "ritmo acelerado" propagandeado pela publicidade contrasta com os dados: foram apenas 28 km de Metrô. Desse total, 8 km são da linha lilás, que liga o Capão Redondo, na Zona Sul, ao Largo Treze, na mesma região - esse trecho não tem conexão com nenhuma outra linha do Metrô.

Esse crescimento tímido da malha viária não tem comportado o crescimento da demanda pelo transporte. O Metrô de São Paulo é considerado pela CoMET (Comunidade de Metrôs) como o mais lotado do mundo, com 10 milhões de passageiros por quilômetro de linha: o menor metrô dentre as 10 maiores metrópoles do mundo. (Fonte: Brasil de Fato)

10) Por fim, José Serra representa um governo que tem nos bastidores pessoas como FHC, responsáveis por muitas mazelas que só hoje, depois de 8 anos de trabalho dedicado ao povo, puderam ser corrigidas.

Por tudo isso pense muito bem no dia 31 de outubro na hora de colocar seu precioso voto.

***

E agora, José?

Ama a vida e segue!
@galldino