Páginas

VÍDEO DO DIA

Quando cai o pano... e o pano caiu. Cai!




Aos poucos vão caindo as bravatas e as acusações-de-última-hora geradas em primeiros turnos. Aquelas "verdades prontas" que, por estarem às vésperas de uma decisão eleitoral, não permitem evidências, investigações, provas, julgamentos e, finalmente, absolvições ou condenações, mas que servem muito bem como meio de bagunçar o processo democrático gerando dúvidas.

Vão caindo mas isso só está acontecendo ao passo que outras acusações, num contra-ataque, estão sendo lançadas. O que significa continuar fora do foco adequado do debate político.

Continuo achando lamentável ver a parte da população, na qual posso até estar incluso (intruso), que se pretende instruída, bem-nascida e formadora de opinião, não demonstrar lucidez na escolha do programa que guiará a vida de todos.

Digo isso não pela "escolha" em si, mas por não darem importância alguma àquilo que de fato importa.

O voto não deveria ser "rasgado" por força de fatores tortos e alienígenas ao bem comum nem dado à persona de Serra ou Dilma, no caso, mas ao que seus projetos para o país representaram-representam-representarão.

E é uma estupidez dizer que são "a mesma coisa". Simplismo infeliz, na melhor opção.

São partidos com propostas diferentes e abordagens distintas que estão concorrendo aí. Serra, é lógico, quer se aproximar de Lula. Mas isso beira o ridículo. Ele, Serra, é a antítese, o oposto total, do que representou Lula.

Dilma, porém, por obrigação e pela base política que lhe apoia, estará completamente atrelada ao que foi Lula. Não haverá opção de desligamento desse compromisso. E nem faria sentido ela se desligar: é coautora de toda obra.

É preciso votar com consciência pra colher os frutos que realmente se quer colher. Não se deixar ludibriar nem seguir preceitos (muito menos preconceitos) equivocados e sem base lógica: "mais preparado", "menos corrupto", "pela ruptura do continuísmo"...

Sabemos bem: não é isso que está em jogo.

Neste blog seguiremos pelo caminho racional, demonstrando as ideias e as conquistas que justificam o voto que a maioria da nação brasileira deu no primeiro turno e caminha para consagrar no dia 31. 

Tragam suas ideias nos comentários.
Apóiem ou critiquem (ofensas serão deliberadamente desprezadas).

Nem preciso dizer que meu voto é por um país soberano e por um povo igualitário.
É Dilma!

Compare mais:


Via @IlustreBOB