Páginas

VÍDEO DO DIA

A "mito-ilogia" boçal dos despolitizados!

Mas antes ouça a voz da sabedoria!



Agora sim, segue a "mito-ilogia...": aos que se alimentam de mentiras e calúnias envio um trecho do editorial corajoso do jornal "O Estado de São Paulo":
***
  "A sucessão foi sequestrada pelo ativismo dos grupos mais conservadores de diferentes denominações cristãs.
Num crescendo, à medida que se aproximava o dia do pleito, padres e pastores, por uma variedade de meios, exortaram os fiéis a não votar na petista Dilma Rousseff, sob a alegação de que, se eleita, patrocinaria a liberação total do aborto.
Na internet foi ainda pior. Ela foi execrada sob a falsa acusação de ter dito que nem mesmo Jesus Cristo impediria o seu triunfo no primeiro turno. Atribuíram-lhe, ainda, a intenção de permitir o casamento gay e a adoção de crianças por casais homossexuais.
Com isso, não apenas submeteram a candidata a um verdadeiro auto de fé, obrigando-a a se penitenciar da suposta heresia, como alçaram à agenda eleitoral a uma questão que não está na ordem do dia no País. 
Dos vários fatores responsáveis pelo declínio de Dilma e a correspondente ascensão da candidatura Marina Silva, nas pesquisas e nas urnas, terá sido esse o mais importante, isoladamente. Se o tema não contaminasse a disputa, é duvidoso que se chegaria ao segundo turno, com a candidata verde no papel de fiel da balança e os finalistas se contorcendo para se mostrar cada qual mais "a favor da vida" do que o outro."
***
Em tempo:
1) o jornal apoia aberta e claramente o candidato do PSDB, José Serra.
2) não há nenhum registro sonoro, visual ou testemunha da suposta fala de Dilma sobre Cristo.

Tenho repetido basicamente o seguinte:

1) Não estamos num plebiscito sobre aborto.
2) O tema não está em nenhum programa de governo.
3) Nenhum candidato a nada no mundo em sã consciência iria ser "a favor" de aborto ou iria ousar menosprezar o nome Jesus Cristo diante de milhões de eleitores fiéis em plena campanha. Isso seria um absurdo.

Ou seja, além de ser uma mentira estúpida, atenta contra nossa inteligência e capacidade de julgamento.

O apelo que o jornal faz é o mesmo que qualquer cidadão de bem faria: veja bem os programas de governo, as ações e feitos dos governos que as candidaturas representam e escolham sabiamente.

Aquele que for escolhido terá influência direta na nossa vida prática mas na vida religiosa e nas escolhas pessoais não terá: estamos resguardados num estado laico. Devemos preservar isso.

Chega de boçalidade. Chega de "mito-ilogia". Chega de corromper a festa democrática do voto.

Eu já não votaria em José Serra, mas pelo que ele representa de ruim: seu governo em São Paulo, por exemplo, é uma lástima. Mas agora, diante de seu evidente conluio com esse abuso mesquinho de temas sérios, espalhando ódio contra as minorias e bagunçando o processo eleitoral fiquei ainda mais certo de que jamais lhe daria o meu voto.

Outem ouvi um papo entre dois rapazes na padaria. Foram outras palavras pra dizer exatamente isto:

1o. - Odeio política. Mas eu votaria no Lula, se fosse permitido. Ele foi um ótimo presidente. Só que não vou votar na Dilma. Ela é só um fantoche do Lula.
2o. - Pior é Serra que é um fantoche da revista Veja. Pra mim é melhor votar num fantoche que estará nas mãos de um ótimo presidente do que num fantoche nas mãos de uma revista que nunca deu nada além de porcaria pro país!
Achei os dois argumentos ruins, já que pra mim é claro que nem Dilma nem Serra são fantoches.
Mas, se for pra entrar na onda do pensamento simplista, o segundo rapaz tem toda razão.

Agora é Dilma!

Veja bem:



"Não se pode usar a palavra de Deus para condenar, muito menos para mentir." 
Padre Júlio Lancellotti.

Ama a vida e segue!
@galldino