Páginas

VÍDEO DO DIA

O Regime de Estado Mínimo do Imperador Michel - o de Temer Imperatriz Globo - a de Enganar

Se dependesse de mim não existiria governo nenhum. 

Mas só se fosse pra não existir imposto. Existe taxa até pra usar o vento.

O caso é que as sociedades estão organizadas assim, mesmo de forma caótica, sob regimes governamentais.

Todo mundo paga grande parte do que produz. Paga direta ou indiretamente. 

No Brasil, paga mais quem ganha menos, proporcionalmente, pois quem ganha pouco acaba consumindo todo mísero salário e ainda precisando fazer empréstimo pra pagar sua sobrevivência. Sobre o preço final de tudo que consome incide uma carga tributária gigantesca e ainda vai arcar com as taxas de juros que são absurdas. 

Por isso o pobre sustenta o conforto do rico, já que este desfruta das melhores estradas, dos melhores bairros, do esgoto, da iluminação pública, da polícia treinada para proteger o patrimônio, das melhores universidades... Os bairros ricos sempre ficam com o melhor serviço pago com os impostos de todos os cidadãos viventes no país. 

A classe média fica espremida entre ricos e pobres e também paga muito, proporcionalmente. Mas consegue um nível de vida menos humilhante. 

Daí o rico joga as duas classes de baixo no conflito eterno e fica de cima só curtindo a guerra. 

Na classe dos ricos estão os políticos que fazem as leis em benefício próprio, os empresários que bancam os políticos e os juízes que absolvem e justificam os atos dos políticos e dos empresários. 

Essa é a sociedade. 

Para equilibrar essa balança inventaram há muito e muito tempo atrás uma coisa chamada democracia. 

Na democracia os pobres podem se unir e pressionar para que parte do que eles pagam dos tributos que consomem toda sua força de trabalho retorne em forma de...

1) saúde 
2) educação 
3) segurança
4) assistência social
5) previdência social

Mas os ricos são gananciosos por natureza e não aceitam isso. Eles querem o dinheiro todo. Inclusive o dos impostos. 

Aí surge a idéia do "estado mínimo". Eles querem cobrar os mesmos impostos e ainda cobrar pelos serviços que esses mesmos impostos já pagaram. 

Se o Estado é mínimo e tudo deve ser privatizado, porque eu devo pagar tanto imposto? 

E pra onde irá a grana quando venderem as empresas construídas com o dinheiro dos impostos?

Essa é a equação que nunca fecha na conversa de Estado mínimo. 

Como eu disse, por mim nem estado existiria. Mas isso significaria também não pagar impostos nem responder às leis. Ou seja, o fim da sociedade: cada um por si e que vençam os mais fortes. 

Como ninguém quer bairros como mini estados com mini milícias cobrando pedágios na entrada e na saída, melhor preservarmos o Estado Democrático de Direto. 

Por isso os recursos do país são de todos os cidadãos e os políticos são eleitos como mediadores dos interesses da nação e não como imperadores que decidem o que bem quiserem sem consultar o povo. O país é nosso e não só deles. 

Para mediar os interesses existe uma coisinha chamada eleição. Nela as pessoas debatem e ao final desses debates as pessoas escolhem uma das ideologias expostas. 

A ideologia eleita nas últimas eleições foi a que garante o bem-estar do povo mais pobre e desvalido na tentativa de trazê-lo para classe média. 

E é essa proposta que deve ser respeitada até a próxima eleição. Se querem um governo ultra neo liberal com corte de benefícios sociais e com estado mínimo, convença a sociedade desse ideário e ganhe as próximas eleições. 

Derrubar o voto é GOLPE na democracia. E é disso que se trata aqui: LUTAR PELO RESPEITO AO VOTO. 

Pisaram no voto do povo desrespeitando os mais pobres como se eles não tivessem direito de votar e golpearam nossa democracia. 

Vamos resistir e lutar por ela. 

Fim.

(Foto: Lígia Fernandes)